EM QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO?




Pessoal, eu não sou capaz de conhecer os pensamentos de ninguém, a não ser os meus próprios. E sabe de uma coisa, eles nem sempre são bonitos, alegres e edificantes. Pois é, muitas vezes me deixo contaminar pelos pensamentos destrutivos da inveja, da raiva, do orgulho, da mentira, cito estes, dentre outros, que talvez passem de vez em quando pelas mentes de vocês também. Contudo, o mal verdadeiro está além de pensarmos nessas coisas, está em alimentarmos estes pensamentos e, assim, deixar que eles controlem também nossas palavras e ações.

Hoje, mais cedo, assisti a uma matéria, apresentada no telejornal Record News, sobre a diferença entre mania e TOC (transtorno obsessivo compulsivo). Enquanto a mania é algo comum, que quase todos têm, como pequenos hábitos ou gostos cultivados no dia a dia. O TOC, por outro lado, é considerado uma doença psicológica, que o ser humano pode desenvolver em qualquer fase da vida. Nesse caso, ele leva ao extremo a mania, fazendo com que certo hábito ou gosto se transforme no centro da sua vida, porque se instaura em sua mente e fica a repassar a mesma mensagem como uma vitrola quebrada. Alguns têm isso com números, sujeira e simetria dos objetos, por exemplo. Mas, o pior de tudo é a ansiedade que isto causa, incitando a pessoa a viver em estado permanente de tensão, a qual não se alivia enquanto não for executado o pensamento fixo.

Comecei a refletir, então, o quão perigoso é alimentar os pensamentos ruins que desejam se alojar em minha mente. Podemos causar danos não só físicos mas também espirituais sérios com essa conduta. Não precisamos disso para nós, pois nosso Deus é o Deus de toda maravilha, grandeza e poder! NEle só há beleza, amor e alegria! Se for isto o centro de nossos pensamentos, o nosso Deus e as coisas que a Ele pertencem, cultivaremos apenas boas manias: louvor, adoração, estado de paz!

Conquanto não seja fácil pensar todo o tempo nas coisas do alto, precisamos nos exercitar na escolha que fazemos daquilo que iremos ver, ouvir e conversar a cada momento do dia, procurando, sempre, através dessas escolhas e dos nossos sentidos, estar trazendo à mente apenas “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama” (Filipenses 4:8). Dessa forma, “a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos (nossos) corações e os vossos (nossos) sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:7). Somente em Deus encontraremos a fonte de todo o bem e de tudo o que vale a pena encher nossa vida!

Nesse exercício diário, pessoal, seremos derrubados algumas vezes, permitindo a entrada de pensamentos nocivos, porque somos falhos e as tentações são muitas. Entretanto, do mesmo modo que Atenas está sempre pronta para ressuscitar seus cavaleiros – no jogo Cavaleiros do Zodíaco, play 2 -, Deus está sempre pronto a nos conceder pensamentos maravilhosos. Mas para que os cavaleiros de Atenas sejam ressuscitados, o jogador precisa esfregar os polegares em todas as teclas do controle com bastante insistência; assim, para conseguirmos alcançar esses pensamentos maravilhosos de Deus, precisamos nos voltar para Ele com insistência, buscar mesmo com afinco a concentração em algo bom, em algo edificante e proveniente do Senhor. Somente fixando as nossas mentes em Deus, Sua Palavra e suas Obras, é que teremos pensamentos saudáveis e manias felizes!

Invista em suas paixões

http://cdn.cubeme.com/blog/wp-content/uploads/2006/06/Hugh_Holland%20jesus%20save.jpg

Inicia-se um novo ano e, como sempre, temos aquelas ideias e inquietações sobre o que vamos fazer, que planos vamos realizar, que projetos merecem mais nossa atenção. De uma forma ou de outra, sempre ficamos com uma ideia de recomeço. Isso, ao meu ver, é muito bom, porque podemos nos reavaliar com base no ano anterior e assim pensar o que devemos mudar em nossas vidas.

É natural que os planos, sonhos e velhas paixões venham a tona e ocupem nossas mentes. Paixões e sonhos que, muitas vezes, estavam guardados ou esperando um melhor momento para que pudéssemos dar vazão a eles. Particularmente, neste novo ano, tenho pensado muito em investir nos meus sonhos e paixões guardados. Independente daquilo que venha a fazer (doutorado, concursos públicos, etc.), quero dedicar tempo e atenção às minhas paixões que estavam a muito tempo "de molho".

Não tenho muitas paixões, mas as que tive e tenho são fortes e sei o quanto me é prazeroso desfrutar delas e cultivá-las. Quem já se apaixonou sabe o quanto a paixão é envolvente e cheia de energia (falo paixão não apenas em relação a uma pessoa, mas em relação a gostos pessoais também, como a paixão por livros, por música, por um esporte ou por sua profissão). A paixão é como uma explosão, uma bateria novinha que mal precisa ser carregada, um impulso ladeira abaixo.

Acho que Deus colocou a paixão no ser humano com um propósito. Acredito que a paixão não deve ser vista apenas naquela velha concepção de algo efêmero, passageiro e pouco confiável. Já pensei muito assim. No entanto, vemos que a paixão pode ser o estopim para grandes amores. A paixão é natural e espontânea e com o tempo pode acabar, mas, se cultivada com carinho, pode se transformar em um caso de amor maravilhoso, que durará a vida inteira.

Convido você a cultivar sua paixão neste ano. Investir tempo em seus sonhos que já estão empoeirados por estarem guardados a tanto tempo. Aqueles prazeres bobos ou singelos que trazem um sorriso ao seu rosto só de lembrá-los. Acredito que Deus usa nossos gostos pessoais para o cumprimento da vontade dEle também. Ou você acha que seus gostos pessoais, por mais corriqueiros e comuns que sejam, não fazem parte daquilo que o torna tão especial e único para Deus? Suas paixões e sonhos também fazem parte daquilo que Deus pensou para você, daquilo que o torna único no corpo de Cristo.

Por isso, acredito que nossas paixões, interesses pessoais, sonhos e desejos podem servir, além do nosso prazer, para a glória de Deus, como está escrito: "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus (1 Co. 10:31)". E nesse sentido, qualquer projeto ou plano que traçamos para este ano deve ter essa meta.

Quando nos apaixonamos realizamos as coisas por prazer, com entusiasmo, sem medir esforços. É esse tipo de atitude que faz diferença no mundo. Como cristãos, nossas paixões e interesses pessoais também podem servir para glorificar o nome de Deus. Por isso, repito: invista em suas paixões; cultive suas paixões de forma que elas não sejam apenas prazerosas para você, mas que possam trazer um sorriso ao rosto de Deus, vendo o nome dEle ser glorificado em cada ato e palavra de seus filhos.