Postagens

Mostrando postagens de 2013

O problema é a educação?

Imagem
http://www.whataboutclients.com/archives/the_thinker,_rodin.jpg
Ontem, ao assitir um programa esportivo que debatia sobre o problema das torcidas organizadas no Brasil, ouvi a célebre expressão "o problema é a falta de educação". Com isso, o comentarista resumia, como quem descobriu a roda (ou a pólvora), a causa e a solução desse problema brasileiro. Essa expressão não é nova e tem sido repetida papagaiamente por muita gente, inclusive eruditos e cultos. Mas será que, de fato, esse é o problema (e a solução)?
Não há dúvida que a instrução serve muito para o desenvolvimento social (afinal, é através do ensino que a criança já desenvolve noções do que é considerado socialmente aceitável e o que não é, constrói a reflexão crítica e recebe informações sobre o conhecimento científico vigente). Mas, repetir como papagaios uma sentença como essa, parece mais uma fuga à resolução dos problemas nacionais do que uma busca por solução. Primeiro, e mais importante para mim, é entender …

Ajudar não dói?!?!

Imagem
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/thumb/f/fc/Eek!_The_Cat_%28Personagens%29.jpg/240px-Eek!_The_Cat_%28Personagens%29.jpg
Quem, entre aqueles nascidos na década de 80, não se lembra do desenho "Eek, the cat", que passava nas manhãs dos anos noventa? Sim, Eek fez a alegria de muita gente, inclusive a minha. Na época, era meu desenho favorito. Gostava do Eek, um gato gente boa que tinha um bordão interessante: "Ajudar não dói!". Achava super engraçado!

Eek é um gato tranquilão que tem uma namorada chamada Ana Bella, uma gata rosa e gorda que tem um cão-tubarão chamado Sharky. Toda vez que Eek vai à casa da namorada ele é perseguido por Sharky e tem de fugir das poderosas mandíbulas do cachorro. A namorada de Eek sempre pede favores ao pobre bichano que sempre o envolvem em enrascadas e o metem em apuros. O melhor amigo de Eek é o alce Elmo, que não é bom do juízo e vive abusando da gentileza e amizade do gato. Assim, Eek vive em trapalhadas, sendo mordido, apan…

NOTA SOBRE UM CRISTÃO RELOADED III

Imagem
Pessoal, quero encerrar essa trilogia de notas com um pensamento que deve ser nosso foco e nosso alvo: o amor pelas almas! Quando Neo se arriscou na sala do Arquiteto e decidiu não se curvar diante do sistema, mas escolheu o desafio de fazer o que era certo - a atitude de um ser livre - ele não fez isso para satisfação pessoal, orgulho, autoafirmação, poder ou para conseguir qualquer coisa em favor próprio. NÃO! O que ele fez foi abrir a porta que o levava ao encontro desesperado e cheio de esperança de salvar Trinity, salvar o outro, alguém que ele amava e que era muito importante para ele. Pois é, esta é a nossa principal missão: amar as almas e mostrar a elas o caminho para salvação em JESUS CRISTO! Nossa vida, nossas ações, nossos pensamentos, tudo em nós deve ser para a glória de Deus e para testemunho de Seu Poderoso Nome! (“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Atos 4:12”)             P…

NOTA SOBRE UM CRISTÃO RELOADED II

Imagem
Quando Neo conversa com o Arquiteto, descobre que está aprisionado a um sistema (MATRIX); e não somente isso, é persuadido a crer que não há saída, que está destinado a se adequar ao sistema. Contraditoriamente a essas descobertas, o Arquiteto aponta para Neo a opção entre duas portas. Ou seja, o prisioneiro destinado a um cativeiro sem saída, passa a ter o direito de escolha, abrir uma porta ou outra. O que desfaz essa contraditoriedade é o jogo manipulativo do Arquiteto, pois oferece as duas portas, Neo pode voluntariamente escolher uma das duas, porém sua escolha, seja ela qual for, não fará diferença, porque de um jeito ou de outro, o sistema dominará Neo.
Ora, esse joguinho é o mesmo usado pelo inimigo de Deus para desviar os cristãos de uma vida santa neste mundo. Ele quer fazer crer que não importa o que façamos, que decisões tomemos, se são boas ou más, sempre estaremos em pecado ou cometendo pecado, porque somos humanos e porque estamos inseridos nesse mundo. Sabemos, no entan…

NOTA SOBRE UM CRISTÃO RELOADED

Imagem
Revendo à cena de Matrix Reloaded em que Neo conversa com o Arquiteto, fui levada a pensar também nas escolhas que fazemos diariamente em nossa vida cristã. Temos que fazer escolhas muito difíceis e às vezes nem nos damos conta disso. Não nos apercebemos de que simples decisões são na verdade uma demonstração de nossa fé e fidelidade a Deus ou da falta delas! Incorremos no erro de não estar vigilantes nem focados no Senhor enquanto nos distraímos com as coisas deste mundo, que são apenas aparências de bondade, felicidade, prosperidade. A essência mesmo de tudo isso só visualizamos verdadeiramente em Deus!
Por isso, precisamos ser tão perspicazes como Neo, ou como Jó. Sim, como Jó, homem íntegro e fiel a Deus. Ele provou que seu amor por Deus não estava nas coisas terrenas - família, dinheiro, saúde física – que são somente aparências e ilusões, mas que seu amor por Deus era algo sincero e profundo, que permanecia firme mesmo na perda de tudo isso! Jó escolheu amar e servir a Deus em t…

Era Jesus um revolucionário? Reflexões sobre o papel da igreja no que se refere a manifestações políticas

Imagem
Olá pessoal, tudo legal? Depois de muito tempo resolvi escrever algo aqui no blog da Fraternidade. Minha motivação, como vocês lerão a seguir, vem do clima da onda de manifestações populares que tem acontecido no Brasil nas últimas semanas. Tenho algumas reflexões sobre o papel da Igreja de Jesus e espero que essas reflexões possam ser úteis pra alguém, em algum  lugar.
A pergunta, título da postagem, é provocativa. Jesus era um revolucionário? Já ouvi, ao longo dos anos, muita gente chamar Jesus de revolucionário, de hippie, de rebelde, ativista político, e por aí vai... Considerando o que a Bíblia diz sobre Ele, como podemos responder a esta pergunta? E como Jesus é nosso referencial e nosso Senhor, a resposta a esta pergunta nos dará base para entendermos qual o papel da igreja nas manifestações políticas e como o cristão deve se posicionar frente a elas.
A palavra revolução, tão comum na Política, na Filosofia, na Sociologia, começou a ser usada na verdade nas ciências naturais. …

Fogo na Babilônia: os protestos e os protestantes!

Imagem
http://stuffkit.com/wp-content/uploads/2011/08/Fire-HD-Wallpapers-16.jpg

Ultimamente, temos visto uma série de protestos em todo o país. Nem sempre os atos são pacíficos, nem sempre são organizados e nem sempre dão em alguma coisa. No entanto, como cristãos, temos de saber qual deve ser nossa postura ante esses acontecimentos. Não acho que a Igreja deva se silenciar ou ignorar esses eventos, mesmo que tenhamos como bandeira revolucionária constante a transformação espiritual do ser humano.

Não podemos nos silenciar por dois motivos simples: 1) nós temos uma resposta aos anseios da sociedade: o fim da corrupção interior no ser humano, o fim de todo mal que fez com que a criação inteira ficasse aguardando com esperança que ela "há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus" (Romanos 8:21); e 2) a mudança interior reflete em uma mudança exterior, sabendo que, enquanto estamos no mundo, vivemos em sociedade e devido à transformação por…

OBLIVION

Imagem
“ESQUECENDO-ME DAS COISAS QUE ATRÁS FICAM, E AVANÇANDO PARA AS QUE ESTÃO DIANTE DE MIM, PROSSIGO PARA O ALVO, PELO PRÊMIO DA SOBERANA VOCAÇÃO DE DEUS EM CRISTO JESUS.” FELIPENSES 3:14
O célebre narrador machadiano, Brás Cubas, depois de morto, resolve escrever suas memórias. Ao refletir sobre os seus cinquenta anos de idade, intitula o capítulo “OBLIVION” para tratar justamente sobre o ESQUECIMENTO. Brás Cubas que é muito dado à filosofia, faz elucubrações acerca do amor e da vida. Para ele, o amor acende a memória e empolga o leitor, mas o fim do amor, leva ao desinteresse pela continuação da sua história, pois aos cinquenta anos, sozinho, que coisas há de lembrar que faça também ao leitor não esquecê-lo? Entretanto, tudo isso é apenas artimanha desse narrador sagaz, pois ao fazer o leitor pensar que nada mais vale a pena lembrar a essa altura da vida, na verdade, incentiva o leitor a lembrar do que deveria, supostamente, esquecer. Que sutileza, não? É o que se denomina ironia, a figu…

A tragédia de Macbeth

Imagem
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/5/50/MacbethAndBanquo-Witches.jpg/350px-MacbethAndBanquo-Witches.jpg

Estou finalizando a leitura da peça Macbeth, de William Shakespeare. É uma tragédia fantástica, que merece ser lida. Conheci a história primeiro por meio de um filme de 1971, dirigido por Roman Polanski (ótima adaptação) e, desde então, estive procurando uma oportunidade para ler o texto. Agora, já no fim da leitura, o que mais me chama atenção em Macbeth, é a ambição sem limites que gera a derrocada da personagem principal.

Imagine isso: um lorde com terras, bens, vitorioso em batalhas, com bons amigos e primo do rei. Bem, imagine, então, que além das terras de herança, este lorde receba também terras de outro lorde, considerado traidor e, por isso, destituído de suas terras. Imagine que, como bônus, você conta com a amizade do rei, que o tem em alta conta e todos os seus amigos também o estimam bastante. Poxa, massa, né? Não dá pra querer nada além disso, não é me…

Chistian Geek Party

Imagem

NÃO OLHE PARA TRÁS!

Imagem
Dizem que é bem melhor ouvir uma frase afirmativa do que uma frase negativa. Desse modo teríamos o seguinte título: Olhe para a frente! Mas que diferença de sentido essas frases realmente produzem? Há quem diga que o “não” aguça o desejo pelo proibido, enquanto a afirmação positiva impulsiona ao cumprimento da indicação direta, mesmo que ela significa uma proibição. Por exemplo, “amar ao próximo” implica dialeticamente à negativa “não odeie o próximo”. Acredito que há questões filosóficas e até linguísticas que estenderiam essa discussão com embasamento mais profundo. Entretanto, a minha reflexão, embora tome esse ponto de partida, não se fixa nesse problema. O que eu quero pensar mesmo é sobre como facilmente desviamos nosso olhar daquilo que realmente importa! Já percebeu que fazemos isso o tempo todo? Nas coisas mais simples. Vejamos, quando estamos trabalhando, reclamamos porque o trabalho é difícil e o salário é baixo, esquecendo-nos de agradecer pelo trabalho e pelo salário que …

A quarta parede

Imagem
https://i.ytimg.com/vi/TbVJfvPpHKc/maxresdefault.jpg
Os gamers de plantão devem conhecer a expressão "romper a quarta parede" muito utilizada para se referir aos games que interagem com o jogador e que revelam a ficcionalidade do próprio jogo (o jogo se revela como jogo e não como algo da realidade material). Para explicar melhor o que isso quer dizer trouxe a imagem abaixo, extraída do filme Spaceballs (Spaceballs: S.O.S., tem um louco solto no espaço, no Brasil). A imagem captura um momento do filme em que os personagens decidem assistir ao filme Spaceballs (de que fazem parte) para saber onde os fugitivos estão, pois eles não conseguem detectar pelo radar. Então, o oficial pega uma cópia do filme e passa na TV e termina passando o vídeo no exato momento em que eles estão olhando o filme dentro do filme, causando um efeito infinito e revelando que o filme é um filme e não pretende ser real (diferente daqueles filmes que "são feitos" com câmeras escondidas ou atra…

Encarando nosso inimigo

Imagem
http://www.terrazero.com.br/v2/wp-content/uploads/2012/08/1024x768_luke_skywalker_vs_darth_vader.png
Quando assisti pela primeira vez a Star Wars Episódio V: O império contra-ataca, fiquei sem entender a cena em que Luke entra na caverna em Dagobah e enfrenta um supostoDarth Vader. Ainda mais quando ele "corta a cabeça" dele e, quando a máscara do capacete explode, e então aparece o rosto do próprio Luke. Na hora, não fez sentido e eu fiquei pensando: "Oxe, mas o que foi que aconteceu?".

Hoje, entendo a cena e nunca fez tanto sentido. Pra mim, a lição não é que "o mal está dentro de nós", mas sim que nós podemos nos tornar exatamente aquilo contra o que estamos lutando. Basta para isso, usar dos mesmos meios, lutar com as mesmas armas, trilhar o mesmo caminho ou alimentar as mesmas expectativas.

Podemos nos surpreender com a visão de nos tornar exatamente aquilo que não queríamos ser. É como na tragédia de Édipo: quanto mais tentamos fugir de nosso "des…

Escolhas

Imagem
http://24.media.tumblr.com/tumblr_lvwldqhdTP1r78bvto1_500.jpg

Todos se lembram do clássico de Ficção Científica "The Matrix". Pra mim, e para muitas outras pessoas foi um marco no cinema e em filmes de sci-fi. Matrix (título no Brasil) me fez pensar em muitas coisas e, entre elas, nas escolhas que fazemos.

Primeiro, vemos que Neo se sente incomodado com algo que sequer sabe explicar direito. Ele sabe que há algo de errado no mundo, como se estivesse em uma prisão sem grades, mas não sabe explicar do que se trata. É então que surge a possibilidade de mudar algo em sua vida. Trinity e Morpheus não lhe dão muitas explicações sobre o que é a Matrix, essa "coisa" que está em tudo e todos e que é, ao mesmo tempo, essa prisão sem muros. No entanto, para se libertar dela, ele precisa fazer uma escolha: tomar a pílula vermelha.

Após essa decisão, ele descobre o que de fato é a Matrix: um sistema criado pelas máquinas para cultivar seres humanos e utilizar a energia produzid…

A agenda

Imagem
https://i2.wp.com/blog.mettzer.com/wp-content/uploads/2017/07/2014.08.22-Crie-espac%CC%A7os-em-branco-na-sua-agenda-imagem01-Vicel.jpg?fit=945%2C630&ssl=1

Três meses já se passaram desde o início do ano e lá vou eu escrever um post com o título de "A agenda". Parece um tanto ultrapassado, não é? Confesso que não é um título muito chamativo a esta altura do campeonato, mas vamos lá...

Quem é organizado e responsável já está usando bem a agenda 2013 que comprou, provavelmente, no fim de 2012. Os compromissos marcados, as despesas controladas, os aniversários devidamente listados e todas as obrigações anotadas e riscadas diariamente. A agenda é um sistema simples e prático de se organizar e conseguir alcançar objetivos, é uma forma de não esquecer o que queremos lembrar (óbvio) e de nos manter sempre nos preocupando com o que é mais importante ou urgente.

Confesso que não consigo usar bem minha agenda. Todo ano ganho ou compro uma e termino usando pouco ou mal. Não a olho t…

Continue?

Imagem
http://i.ytimg.com/vi/4zr34EPnNcA/hqdefault.jpg
Já que estamos falando de games, ou pelo menos de um filme que fala de games...

Quantas vezes não nos deparamos com a tela "Game Over"? Pois é, a vida de gamer não é fácil. Até que consigamos "zerar" o jogo podemos passar por muitas telas "Game Over". O bom é que normalmente, logo em seguida, aparece a tela "Continue" e podemos voltar com tudo pro jogo.

É claro que se fizermos exatamente o mesmo que fizemos da última vez o resultado será óbvio: outro "Game Over". A parte boa de um "Continue" é mudar a forma como jogamos, é mudar nossa estatégia de jogo. Precisaremos, com isso, refletir naquilo que fizemos de errado, repensar o que foi que faltou para vencermos e tentar, desta vez, fazer algo melhor.

Ah! Como seria bom se na vida real fosse assim...

E muitas vezes é! Afinal, sua vida não acabou (suponho que apenas vivos leiam o Blog da Fraternidade Lambda) e se você ainda tem "L…

Cumprindo o seu papel

Imagem
http://1.bp.blogspot.com/-BTnHD_y648g/UKqBZTOXGKI/AAAAAAAAB1Q/TWgncxWTj0I/s1600/ralph.jpg

Há muito tempo que queria escrever aqui e as inúmeras atividades me impediam, mas já que consegui um tempo emprestado é melhor eu aproveitar!

Assisti, faz algum tempo, o filme Detona Ralph que, apesar de algumas coisas estranhas como o código dos vilões ("Sou mal, mas isso é bom", etc.) pode nos ajudar a entender um pouco sobre estarmos satisfeitos com nosso papel e nossa função no corpo de Cristo.

No filme, o vilão (que é o herói do filme) chamado Ralph, cansa de ser o "cara mau" do jogo de video-game e quer ganhar uma medalha como um bom "herói". Daí, ele sai do jogo dele e entra em outros jogos para tentar ganhar um prêmio e "salvar o dia". Por causa disso, o jogo de que ele faz parte não "roda" mais do mesmo jeito e termina correndo o risco de ser desligado de vez.

Ralph fica cansado de não ser bem aceito pelos personagens do seu jogo e parte …

EM QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO?

Imagem
Pessoal, eu não sou capaz de conhecer os pensamentos de ninguém, a não ser os meus próprios. E sabe de uma coisa, eles nem sempre são bonitos, alegres e edificantes. Pois é, muitas vezes me deixo contaminar pelos pensamentos destrutivos da inveja, da raiva, do orgulho, da mentira, cito estes, dentre outros, que talvez passem de vez em quando pelas mentes de vocês também. Contudo, o mal verdadeiro está além de pensarmos nessas coisas, está em alimentarmos estes pensamentos e, assim, deixar que eles controlem também nossas palavras e ações.
Hoje, mais cedo, assisti a uma matéria, apresentada no telejornal Record News, sobre a diferença entre mania e TOC (transtorno obsessivo compulsivo). Enquanto a mania é algo comum, que quase todos têm, como pequenos hábitos ou gostos cultivados no dia a dia. O TOC, por outro lado, é considerado uma doença psicológica, que o ser humano pode desenvolver em qualquer fase da vida. Nesse caso, ele leva ao extremo a mania, fazendo com que certo hábito ou g…

Invista em suas paixões

Imagem
https://dingo.care2.com/pictures/greenliving/1412/1411795.large.jpg Inicia-se um novo ano e, como sempre, temos aquelas ideias e inquietações sobre o que vamos fazer, que planos vamos realizar, que projetos merecem mais nossa atenção. De uma forma ou de outra, sempre ficamos com uma ideia de recomeço. Isso, ao meu ver, é muito bom, porque podemos nos reavaliar com base no ano anterior e assim pensar o que devemos mudar em nossas vidas.

É natural que os planos, sonhos e velhas paixões venham a tona e ocupem nossas mentes. Paixões e sonhos que, muitas vezes, estavam guardados ou esperando um melhor momento para que pudéssemos dar vazão a eles. Particularmente, neste novo ano, tenho pensado muito em investir nos meus sonhos e paixões guardados. Independente daquilo que venha a fazer (doutorado, concursos públicos, etc.), quero dedicar tempo e atenção às minhas paixões que estavam a muito tempo "de molho".

Não tenho muitas paixões, mas as que tive e tenho são fortes e sei o quan…