DIVERGENTE


No último sábado (10/05/2014), o Pr. Thiago José pregou no Canal, uma mensagem desafiadora sobre um aspecto essencial à vida de todo cristão: a mudança de mentalidade! Ele nos levou a refletir sobre isso a partir da atitude do profeta Elias, quando no auge do seu ministério, decide amedrontar-se diante de uma ameaça de Jezabel que não poderia lhe causar mal algum, pois Deus estava com Ele (I Reis 19:1-2)! Mas ao invés de confiar na presença constante do Senhor ao seu lado, ele prefere pedir a Deus a morte (I Reis 19:3-14). Sejam quais forem os motivos do profeta para se sentir assim, Deus tinha tanto carinho por este homem que concedeu a ele o seu desejo e o arrebatou! (II Reis 2:10)  Antes disso, porém, incumbiu Elias de ungir Eliseu para que continuasse o seu ministério (I Reis 19:16). Eliseu, por sua vez, demonstrou uma atitude contrária a de Elias, tendo a ousadia de pedir porção dobrada do espírito de Elias. Deus também amava Eliseu e concedeu o seu desejo, dando-lhe a porção dobrada e um ministério duplamente abençoado e abençoador! (II Reis 2:10 em diante)
Essa palavra forte e inspiradora me remeteu ao filme que assisti recentemente chamado Divergente. Ele é o primeiro filme de uma trilogia que traz entre outras lições, uma reflexão muito boa sobre o poder e a importância da nossa mente! No filme, a protagonista é submetida a um teste mental para saber se ela se encaixa na “facção” a qual escolheu viver. O teste consiste em beber um líquido que a faz enfrentar alguns delírios. Ela precisa enfrentar a situação delirante como se fosse real, a fim de mostrar como ela pensa. O incrível é que tudo o que se passa na mente dela, todo o delírio e suas ações e emoções são assistidas em um telão. Já imaginou se todos pudessem ver o que se passa em sua mente? Bom, Deus vê exatamente tudo o que se passa em nossas mentes. E é a Ele que devemos prestar contas. Mas Ele não está nos observando para nos pegar em alguma falha, como no filme. Não, Ele nos vê por completo, porque Ele nos criou e espiritualmente nos gerou, somos seus, Ele nos conhece e nos ama. Por isso, Ele sabe tudo o que há em nós! No filme, a jovem não pensava conforme o padrão exigido por sua casta. Ela tinha a capacidade de pensar de várias maneiras diferentes. Naquela sociedade isso era visto com maus olhos, pois havia uma forma de governo que queria controlar as pessoas, de modo que todos tinham de pensar do mesmo jeito. Aqueles, então que pensavam diferente, eram chamados de Divergente e mereciam a morte. O que acontecia na mente da garota era que o medo não a fechava, mas a abria para enxergar melhor e para agir de maneira a solucionar os problemas e vencer os desafios. É isso que Deus deseja de nós, que não sejamos marionetes, nem que nos amedrontemos diante do conhecimento dEle sobre nós. Ele quer que isso nos abra para que tenhamos a mente de Cristo.
Os divergentes precisam lutar para conservar suas mentes livres. Assim também o cristão! Pois a nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas é uma luta espiritual, contra principados e potestades (Efésios 6:12), é uma luta para conservar as nossas mentes livres do inimigo e cativas a Cristo!! Esse tema é imprescindível, tanto que Paulo nos adverte “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12:2)
Pensando mais profundamente, o pastor Charles Swindoll escreveu um livro chamado Como viver acima da mediocridade, onde ele reflete com bastante seriedade sobre a necessidade de os cristãos entenderem que a mente é o alvo do inimigo (“A guerra se desenrola nas esferas invisíveis, intangíveis, da mente” Swindoll, p. 16, 2007), e que, portanto, precisamos investir nossos esforços e armas para proteger as nossas mentes das estratégias de Satanás.
“Pois embora andando na carne, não militamos segundo a carne. As armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus, para destruição das fortalezas. Derrubamos raciocínios e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo o pensamento à obediência de Cristo.” (II Coríntios 10:3-5)

Não deixemos o inimigo minar as nossas mentes nos fazendo desistir da vida e do ministério para os quais Deus nos chamou, como fez Elias (embora ele tenha cumprido sua missão e tenha sido um grande homem temente a Deus, sofreu algum abalo, como já vimos, desejando a morte), “pois como imaginou em sua alma, assim é.” (Provérbios 23:7). Façamos diferente, sejamos divergentes, como Eliseu e tenhamos uma mente forte, decidida e convicta na vitória em Cristo Jesus!! (“Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.” I Coríntios 15:57)

Nenhum comentário:

Postar um comentário