Paciência, Jovem Padawan... Paciência...


http://narwilliams.com/blog/wp-content/uploads/2009/06/yoda.gif



Estou um pouco impaciente hoje. Estresse, angústia, ansiedade. Às vezes, na jornada, temos dias assim. Dias em que parece que estamos em Dagobah, treinando no caminho da Força, mas com a cabeça lá em Bespin (pra não dizer que estamos "com a cabeça nas nuvens"). Dias em que o que mais queríamos era resolver outros problemas e não treinar meditação Jedi com Mestre Yoda. Dias de querer enfrentar Lord Vader com toda raiva que temos! Mas aí vem o velho Mestre Jedi e nos diz: "Enfrentar Lord Vader você não deve. Pronto você não está, jovem padawan!".

Como a X-Wing, parecemos atolados em um pântano (E toda Dagobah não é um grande atoleiro?) e, ao mesmo tempo, tendo de esperar pra sair desta situação ruim. Estou assim hoje. Queria ação, mas hoje tenho de treinar Meditação de Batalha Jedi. Queria sair deste planeta-mangue e ir para a Cloud City resolver todos os problemas de vez.

O que me consola e me faz relembrar a importância da paciência é o texto bíblico abaixo:

"Esperei com paciência pelo Senhor, e ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor. Tirou-me de um lago horrível, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos" (Salmo 40. 1 e 2 ARC)

É nisso que tenho confiado e esperado. Continuarei treinando, pedindo ao meu Mestre, nosso Grão-Mestre, que me ensine cada vez mais no Caminho da Força e me ajude a superar as ansiedades da juventude. Pois, no fim das contas, ainda sou um mero padawan...

8 comentários:

  1. Extraordinário Wesslen!!! Após ler seu post, lembrei de quando mestre Yoda disse: "Quando 900 anos você tem difícil viver é." Sinceramente penso que não foi o peso do desgaste físico que levou o sábio mestre a proferir tais palavras, mas o peso dos muitos conflitos, ou perturbações, na força que o mestre já vivenciou.

    Salomão também passou por isso quando disse: "Na muita sabedoria a muito enfado, e quem aumenta em ciência também aumenta em tristeza.Ec 1:18 Mas algo me consola muito, caro amigo, que é o fato de crermos em um Deus que estimula seus filhos a adquirirem a Força através dos meios mais inusitados:" Em vos converterdes e repousardes estará a vossa salvação, e em vos SOSSEGARDES e CONFIARDES estará a vossa FORÇA.Is 30:15.

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo Melífluo! em outra tradução: (...)No arrependimento e no descanso está a salvação de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor(...). E mais (...)De fato, acalmei e tranqüilizei a minha alma. Sou como uma criança recém-amamentada por sua mãe; a minha alma é como essa criança.Ponha a sua esperança no Senhor(...).
    Lembre-se também, estamos com você!

    ResponderExcluir
  3. Pois fraters! Valeu pela Força! A Força é forte em vocês e vindo de vocês!

    É exatamente isto que tenho treinado em Dagobah, do mesmo modo que o salmista (será que Davi passou por um treinamento Jedi em Dagobah? O texto bíblico descreve o ambiente daquele planeta perfeitamente!!!).

    Tenho treinado a Meditação de Batalha Jedi que não consiste em novos golpes letais com o lightsaber, mas em aquietar-se na Força (da Graça de Cristo) e confiar no nosso Grão-Mestre. Um Jedi não deve ter inquietações, ou ansiedades. (A Força é sua aliada!!). Necessário é que o Jedi discernir isso saiba.

    ResponderExcluir
  4. hmmmmmm
    Tenho uma linha paralela de reflexão...

    Não estariam a paciência e a sabedoria sendo perigosamente associadas com a inatividade???

    Não há dúvidas de que há momentos para todas as coisas, no entanto, a paz de espírito e a tranquilidade não são sinônimos de inatividade, mas sim de ações bem orientadas, é muito diferente.

    Acredito que o mais prudente é sempre procurar o caminho mais sábio nas ações, no sentido de buscar se questionar de acordo com sua tendência.

    Se tendermos à inatividade, devemos buscar o questionamento sobre se não é hora de agir e se estamos apenas com medidas protelatórias. Se tendermos a uma ação precipitada, devemos buscar nos questionar se não é melhor se preparar mais e melhor.

    Enfim... mais um ponto de vista. Não falo como quem consegue fazer isto sempre, mas é isto que acredito ser o adequado.

    ResponderExcluir
  5. Acredito ser extremamente pertinente o seu adendo, mestre Porfírio. Até porque quando o rei Davi, cujo relato de Dagobah é realmente curioso(boa observação Wesslen), disse essas palavras que foram citas, ele nunca deixou de cumprir as obrigações pertinentes a posição que ocupava, mas, com essas mesmas palavras, demonstra seu pleno entendimento de não ter pleno controle das circunstâncias que o envolviam e que dependia totalmente de Deus para levar a cabo tais obrigações.

    ResponderExcluir
  6. Grande Master Porfírio!

    (Por essas coisas e comentários que é bom tê-lo ao lado: prudência, sensatez e sabedoria!! Vida longa e próspera pra você!)

    Bem, de fato, confundir alhos com bugalhos não é uma boa saída. Não dá pra pensar inatividade = paciência. Inércia é a manutenção de um estado de coisas (sim, eu já falei disso antes): o repouso (inatividade) ou o movimento (atividade).

    Alguém pode perguntar: "Ora, não é melhor estar em atividade e em movimento do quê parado e inativo?"; e eu respondo: "Depende! Depende do quê se está fazendo e de pra onde se estar indo!"

    Claro, o cristão busca o equilíbrio (não o equilíbrio budista ou o de George Lucas, em Star Wars), mas o equilíbrio que é reflexo de uma vida que vê as nuances da existência sob outro prisma: o de Cristo.

    Que prisma é esse? Ora, é o que segue abaixo:

    Eclesiastes 3. 1-8 (ARA):
    "TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz."

    E, também, como o próprio Mestre falou:

    Mateus 5. 45:
    "Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos."


    João 16. 33:
    "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."

    Ou seja, quem está no caminho, sabe que haverão diversas estações (verão, outono, inverno e primavera) e que às vezes a marcha vai seguir rapidamente, às vezes não (às vezes vai ter de parar na estalagem e esperar o tempo melhorar).

    Espera-se, do padawan cristão, que ele tenha a sabedoria para discernir os momentos e movimentos. Ou, ao menos, que ele seja sensível à Força e se deixe dirigir pelo Espírito Santo.

    Acredito que eu estou em fase de treinamento (conforme disse no fim do post) e, por isso, a comparação com Dagobah. Mas treinamento não é atividade ou inatividade. É exercício (o que significa que é uma atividade ou inatividade com um propósito determinado).

    De qualquer forma, estou feliz pois meu post gerou uma boa discussão e é através dela que poderemos aprender melhor sobre o equilíbrio e sobre a caminhada cristã. Hehehehe!

    ResponderExcluir
  7. debates de alto nível...estou muito longe dessa capacidade!

    Muito legal!

    PAZ!

    ResponderExcluir