Se a ausência de medo é prova de maturidade (será?) por que tanta superstição?



Quero compartilhar algo que escrevi já faz algum tempo, mas que foi uma descoberta muito útil pra mim.

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." Platão


“E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. E orou Eliseu e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja”. 2 Rs 6:16

Pode parecer maluquice, mas eu seria hipócrita se me chamasse de cristão, e, no entanto, não cresse na influência de anjos e demônios (uma vez que Jesus fala disso abertamente). Muitos negam a existência destes seres, todavia, ao entrar nas mais diversas residências, vemos todas as evidências contrárias: santinhos, velas, vasos com sal e alho, figas, ferraduras, incenso, pimentas, e toda sorte de artifícios para afugentar os mais variados males.
Não quero zombar das superstições, apenas apresentar um caminho diferente:


“No amor não há medo, porque o medo pressupõe que haja culpa, e se é culpado há castigo; mas o perfeito amor afugenta todo o medo. O que teme não é perfeito no amor.” 1Jo 4:18


Um mundo de medos assola os homens, vários já cauterizados por meio de fortes traumas emocionais, mas observe o seguinte: quando uma criança teme o escuro e corre para o quarto dos pais é porque crê que os pais sejam muito mais fortes e poderosos do que qualquer ser que possa lhe ameaçar no escuro. Não é isso? Porque seus pais, apesar de suas falhas, estão dispostos a lhe proteger. E o olhar de aprovação e proteção de quem é maior e mais poderoso do que nós é tudo que precisamos para seguir confiantes em frente sem temer nenhuma ameaça (seja física ou sobrenatural).


Se algo lhe causa temor e paralisação; se existe alguma ameaça pairando sobre sua vida, acredite no que vou te dizer: Deus se importa com você e é poderoso para lhe guardar de qualquer mal. Para gozar disso você não precisa passar por nenhum ritual; não precisa pagar nenhuma taxa; não precisa se humilhar para ninguém, apenas abrir o coração com Deus (onde você estiver e dá forma que puder). Se você tem dificuldade em crer nisto, procure alguém que lhe possa mostrar as maravilhas do amor de Deus; possa orar por você; estudar a bíblia com você, ir a igreja com você, possa formar uma fraternidade com você e juntos viverem o pleno significado da manifestação do reino de Deus aqui na terra.


Não digo isso como alguém que nunca temeu nada (porque o medo era tão constante que para mim era normal ser apunhalado por ele constantemente), ou que não tema mais (porque os temores ainda tentam me dominar), mas como alguém que sabe o que é sentir uma segurança e amor que nem família, nem amigos, nem relacionamentos, nem o governo (esse eu nem deveria citar) podem dar.


“Aquele que nem mesmo o seu próprio filho poupou, antes, o entregou por todos nós. Como nos não dará também com ele todas as coisas?” Rm 8: 32

5 comentários:

  1. Grande Marco Melífluo!

    Primeiro, seja muito bem vindo à fraternidade e ao seu primeiro post!!

    E você começa com um tema muito importante e interessante: o medo. Como frater Mazquir salientou: "Não há medo". Está em nosso código e há um porquê disso.

    Mas como entender que acreditemos que "não há medo" e, ao mesmo tempo, eu (do mesmo modo que Melífluo já assumiu em seu texto) não estamos completamente livres de nossos medos? Seria uma incoerência?

    Não. A verdade é que (como tudo o mais na caminhada cristã) trata-se de um processo. Como uma jornada. É como alguém que deixa um lugar e está se deslocando para outro: não está nem onde estava nem onde deseja chegar, está em trânsito. É nômade. É migrante. É "hebreu".

    Melífluo foi muito feliz em suas palavras: "Não digo isso como alguém que nunca temeu nada (porque o medo era tão constante que para mim era normal ser apunhalado por ele constantemente), ou que não tema mais (porque os temores ainda tentam me dominar)". A diferença é que os temores não nos dominam mais. Estamos saíndo do estado de medo para o estado de não medo. Nesse trânsito o medo vai ficando para trás e a segurança em Cristo se mostra mais forte a cada passada. Como a ilustração do dia que vai aparecendo e desmanchando a noite.

    ResponderExcluir
  2. O estranho é que até cristãos tem essas mandingas. Já vi em muita casa de crente a Bíblia aberta no salmo 91 (como amuleto contra olho gordo, inveja, energias negativas e sabe-se lá mais o quê!!!)

    ResponderExcluir
  3. Muuito obrigado pelo seu comentário Wesslen, enriqueceu sobre maneira o post, e sanou possíveis incoerências. Fantástico!!!

    ResponderExcluir