Unodecisões (3/3)


http://2.bp.blogspot.com/_28sKn9j0t-0/SUMT8aO_rKI/AAAAAAAAAIk/VA0NEh2sPfc/s400/encruzilhada.jpg


Escolhas, a vida terrena nos oferece diversas todos os dias. Precisamos de sabedoria, conhecimento e meios de poder fazer as escolhas certas. Mas será que existe um modo adequado de se tomar decisões? Será que existe, simplesmente, um modo adequado de se viver? A última "unodecisão", que tratarei neste post, aborda a escolha de assumir ou não a soberania de Deus em nossas vidas. Trata-se da decisão de seguir os passos de Cristo ou traçar a própria trilha. Existir com a ausência de Deus, ou considerar sua presença consistente em cada momento.

Neste campo, não temos muitas opções: ou consideramos seriamente que existe um Deus, que nos criou e quer que vivamos de determinada forma, ou partimos da ideia de que nada disso existe e traçamos nosso próprio rumo. Simples assim. Não dá pra ficar entre um e outro. No máximo, consideram-se variações destas duas possibilidades (deuses, energias criativas, ciclos cósmicos, etc.). Se acreditamos com nosso coração, alma, força e entendimento que Deus criou todas as coisas, devemos considerar que o Criador traçou o modo como devemos viver. Caso acreditemos que tudo é fruto do acaso (ou da não causa), então também deveremos considerar que não há modo correto de viver (pois é fruto do acaso, logo, não existe intenção criadora e, logo, a vida não é fruto de propósito algum).

A maioria das pessoas que não acreditam que "Deus é" não percebe, mas considerar que não há Deus implica que a "vida" não passa de átomos unidos de forma complexa. Assim nossa ação na sociedade (e a sociedade de forma geral) não tem finalidade, nem é boa, nem é ruim (conceitos que partem de uma ideia de absoluto e de finalidade), não há sequer ética ou moral (construções que se valem também de causa e efeito, finalidade e propósito). Nós nem poderíamos considerar o pensamento científico válido, pois é fruto de troca de eletróns em neurônios de criaturas cuja massa não pode ser considerada significante quando relacionada ao universo em que vivem e que é composto por uma outra infinidade de átomos e particulas, até mais complexas do quê o dessas criaturas enxeridas (sobre isso, C. S. Lewis fala magistralmente no livro O peso de Glória). Assim, não seria possível, adequado ou lógico achar que a "vida" humana deveria seguir um rumo, ser socialmente adequada, ou ter de aprimorar-se evolutivamente (para quê?). Na verdade, todos que acreditam nisso deveriam simplesmente "deixar rolar whatever", pois o universo vai seguir em frente, independente de nós, para onde quer que ele esteja indo (ou voltando).

Também, não dá pra aceitar pessoas que afirmam acreditar que há um Deus criador, mas também afirmam que devem viver como quiserem. Ora, se há um Deus criador de todas as coisas, será que a forma como Ele deseja que devemos viver não deve ser considerada? Afirma-se que o que importa é "fazer o bem" e "dar o seu melhor", dando a entender que Deus não nos deixou nenhum guia, nenhum princípio, nunhuma diretriz ou norte, mas teria dito: "É isso aí, se virem como puderem e façam o que quiserem, contanto que vocês sejam sinceros e bem intencionados!". Ora, Deus, como um bom Criador, nos deixou todo o "bizú" pra não fazer feio no exame celestial. Ele nos disse qual conteúdo será considerado na prova, quais serão as respostas consideradas certas e como fazer para respondê-las de forma clara (e tem gente que acha Deus confuso!). Ainda se prestou a nos ajudar no estudo-aprendizagem e nos deixou o resumão, pra facilitar tudo: "Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo com a si mesmo". Sabendo de tudo isso, fica difícil ter motivos para levar bomba.

Sei, também, que ninguém pode afirmar "que Jesus é o Cristo se não lhe for revelado pelo Espírito". Considerar Deus como criador e soberano de nossas vidas não é questão de lógica, mas de revelação. Ninguém pode tomar esta decisão por você. Você não pode seguir este caminho a não ser com as próprias pernas. Tentar viver o evangelho sem de fato ter esta revelação é tornar-se religioso, nada mais, nada menos. Não importa o quanto faça sentido, ou o quanto minha argumentação aqui seja convincente. Não se trata de convencimento, mas de conversão e conversão é uma mudança em todas as áreas, que não é fruto de conhecimento, mas de algo muito mais profundo, uma certeza enraizada e indiscutível, algo que se torna intrínseco a você.

É como está exposto no filme Matrix. Se você sente que há algo de errado com o mundo em que vivemos, que você parece estar aprisionado mesmo sem grades, que as coisas não parecem fazer sentido, bem, o que posso lhe dizer é: "Tome a pílula vermelha e vamos entrar na toca do coelho". Você vai perceber que a "realidade" será pior que a "matrix", mas você será livre. Isso, no entanto, é apenas para aqueles que não estão conformados com este mundo e percebem que deve haver uma forma mais adequada de viver. É apenas para aqueles que sentem profundamente que algo precisa mudar na vida deles. A decisão é toda sua: tomar a pílula vermelha e reconhecer Deus como soberano, alguém que lhe deu vida e quer que você viva do modo como o Filho mostrou; ou tomar a pílula azul, acordar em casa e acreditar na ilusão que você quiser.

3 comentários:

  1. Muito bom irmão! Gostei muito do texto.

    Seu raciocínio é perfeito. Me lembra muito um texto que eu escrevi recentemente, falando sobre as consequencias do abandono de Deus por parte da sociedade. Depois eu posto ele.

    Concordo com seu texto 100%!

    Abraço!
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Wesslen! Pô, que nível!! O trecho "ou tomar a pílula azul, acordar em casa e acreditar na ilusão que você quiser.", fez-me recordar do personagem Cypher, quando este, ao contemplar uma suculenta fatia de carne, diz: eu sei que isto é uma ilusão, sei que na verdade estou deitado e o que saboreio é uma ilusão dos meus sentidos, mas... como é saborosa essa ilusão!!! Isso é algo contra o qual o cristão deve lutar: saber a verdade, mas desfrutar dos prazeres da mentira.

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto!

    Gostei muito cara, grandes ideias, grande argumentação, lógica perfeita!

    Abração!

    Vou postar algo que dialoga com teu texto!

    PAZ!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir