A sociedade de "Imagine", de John Lennon







Na primeira epístola de Paulo aos coríntios, no capítulo 15, versículo 32, o apóstolo diz o seguinte: "se não há ressurreição dos mortos, comamos e bebamos porque amanhã morreremos". Essa lógica é perfeita. Os seres humanos possuem necessidades, desejos e vontades que são diretamente ligados ao seu bem estar físico e emocional. E, a princípio, a vida natural leva as pessoas a busca pela satisfação destas necessidades. Isso é lógico e aparentemente coerente. Mas não é tudo...

Do ponto de vista bíblico, o homem possui três dimensões; corpo, alma e espírito, tendo sido criado por Deus dessa maneira. E Deus, o criador, estabelece normas e princípios para a vida plena do homem, uma vez que Ele o conhece em todas as suas dimensões. Essas normas ou princípios não são ditados aleatoriamente, mas a partir do profundo conhecimento do homem em sua essência, necessidades, propósitos, etc., levando em conta corpo, alma e espírito.

A busca pela satisfação das necessidades, tendo como base apenas o desejo do homem, fere os princípios de Deus, porque a carne (corpo físico e emoções) foi corrompida pela pecado (Gn 3), e sua inclinação é para o mal. O espírito é a parte do homem que vem diretamente de Deus (Gn 2:7), é eterna, diferente da carne, que é temporária e terrena. Por conta disso, a inclinação da carne é para o mal, de modo que o fortalecimento da carne (pela satisfação desenfreada de suas necessidades) enfraquece o espírito, e o fortalecimento do espírito enfraquece o poder da carne (Gl 5:17). Não existe harmonia entre carne e espírito, eles são antagônicos. A carne busca o prazer, seja ele lícito ou não: comida, bebida, diversão, descanso, sexo, etc. Tudo isso em excesso.

É isso o que busca o homem sem Deus: satisfazer os desejos da carne.

Na música "Imagine", o ex beatle John Lennon escreve: "imagine que não existe paraíso, é fácil se você tentar, Nem inferno para nos julgar, acima de nós apenas o céu", (imagine there's no heaven, is easy if You try; no hell below us, above us only sky). Estes versos falam de uma sociedade sem o transcendental, do ponto de vista de um mundo espirirual, ou de uma realidade exterior àquela que nossos olhos vêem. Não existe paraíso, não existe inferno, a existência é o aqui e o agora. Em outro verso ele fala sobre uma sociedade sem religião, e em um dos mais importantes ele diz: "imagine todas as pessoas vivendo para o hoje" (imagine all the people, living for today). A mensagem é a seguinte: "viva o hoje. Não existe amanhã, o importante é o agora. Não pense no futuro, não meça consequencias". A canção, bela a primeira vista, com uma linda melodia, preconiza uma sociedade sem leis. Um mundo onde as pessoas buscam satisfazer suas vontades imediatas, afinal, não há céu ou inferno, o que você faz aqui, fica aqui, por que só existe o aqui e o agora. Isso sem falar em outros desdobramentos da letra, que se encaixam com o mundo criado pelo anticristo, segundo Apocalipse.

É isso o que busca o homem sem Deus. Satisfação pessoal, física ou emocional, do corpo ou da mente. Com os princípios estabelecidos por Deus conhecemos os reais limites e possibilidades da vida: sabemos o que é certo ou errado, bom ou ruim. Sem a ideia de Deus não há certo ou errado, justo ou injusto, bem ou mal. Se não existe Deus, se somos obra do acaso, não existe sentido para a vida, e não existe razão para não se fazer o que se dá na telha, afinal, só existe, concretamente, o hoje. Por isso, uma sociedade onde deus é ignorado é imoral, violenta, injusta e infeliz. É uma sociedade sem sentido. Nela, as pessoas fazem o que querem, sem se importar com as consequências. De fato, se Deus não existisse, nada faria sentido a não ser a busca do prazer. "Comamos e bebamos, pois amanhã morreremos", esta é a lógica da sociedade sem Deus.


Sobre este tema Bíblia diz: "Disse o néscio em seu coração: não há Deus. Têm se corrompido e cometido impiedade. Não há quem faça o bem. "(Sl 53:1).

A Bíblia assevera que existe um Deus criador, narra a criação (Gn 1), fala sobre o caráter de Deus, suas qualidades, seus atributos, etc.

Deus dá sentido ao mundo, dá propósito. Tudo se explica a partir de Deus, e tudo converge nEle. "E Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por Ele"(Cl 1:17). "Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez" (Jo 1:3). "Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas; glória pois, a Ele, eternamente. Amém." (Ro 11:36).



Saudações a todos.

Graça e Paz!







8 comentários:

  1. Parabéns! Muito bom este tema. Evoca a esperança no porvir. A escola dos epicureus buscavam exatamente o prazer, inclusive a ética do prazer e do jardim. Mas, por outro lado, muitas vezes somos moldados, convenientemente, pela crise e pelo sofrimento. Cristo vive!

    ResponderExcluir
  2. Grande TJ!

    Sempre trazendo reflexões inquietantes e "chacolejantes" (não é chocolejantes, que provavelmente seria uma batida de chocolate - hauhauhauhaua - desculpem-me, hoje estou um tanto engraçadinho!).

    No livro "Cristianismo Puro e Simples", de C. S. Lewis, aborda-se um pouco sobre isso. O mestre mostra como o cristianismo não é uma religião "confortável", no sentido de que exige de você mudança de comportamentos (quer você goste ou não). Também em "O problema do sofrimento", ele trabalha o fato de que, como cristãos, não estaremos livres da dor, mas que teremos de lidar com ela, mesmo que seja o lidar como o de Cristo na cruz: "Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparaste?".

    Isso implica dizer que nossos desejos e anseios devem ficar em segundo plano e que o modo de viver de Deus, seja posto em primeiro lugar. De forma prática, isso quer dizer não revidar violências ("dar a outra face"), fazer o bem a quem não gosta da gente ("amar os inimigos") ou desconsiderar todo o mal que já nos fizeram ("perdoar a quem nos tem ofendido"). Ou seja, atitudes que rompem com a tendência "natural" (da natureza caída em nós).

    Esse é o verdadeiro desafio "imaginativo": nos imaginar em ações e comportamentos diferentes. Ideias e ideologias temos muitas e muito boas por sinal; o problema sempre foi a nossa prática.

    ResponderExcluir
  3. Há quem pense que é possível estabelecer princípios morais sem a crença em Deus. há quem nutra esperanças de um mundo justo sem um juiz. Grande ilusão...por que reprimir os meus impulsos mais obscuros se não devo prestar constas a ninguém? Contanto que ninguém descubra... Essa é lógica do ímpio, daquele que ama a escuridão. Ele é falso, desequilibrado e tolo. O temor do Senhor é o princípio da sabedoria e o equilíbrio é o único estilo de vida possível para quem crê em Deus.

    ResponderExcluir
  4. Pois é!

    O cristianismo gera o confronto consigo mesmo, no sentido de ir contra a vontade da carne e as tendências do mundo.
    Não vejo ética sem Deus, ou moral,simplesmente por que nada tem sentido. O próprio Nietzsche, bastião do ateísmo, lutou contra a moral, com sua "filosofia do martelo". Há uma lógica em seu pensamento, se a vida é luta pela sobrevivência, a força e qualidade, a fraqueza é defeito...Porque lutar por justiça, ou pq ser verdadeiro, ou leal, em um mundo onde somos obra do acaso e somos levados por impulsos eletroquíminos e físicos e quetais...

    Os epicureus viveram em um período entre Sócrates, que voltou a Filosofia para o homem, dialogando sobre temas como a ética e a justiça, entre outros, e os romanos, com seu utilitarismo político, retórica e tals...
    Mas eles viviam em uma cultura politeísta, que valorizava em extremo a carne, as festas (vide Dionísio), etc.

    Ótimos comentários!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso post!!! Frutíferos comentários!! Noooossssa!!!

    ResponderExcluir
  6. Inquietante TJ uma reflexão como essa!

    É muito confortável viver e sonhar o "imagine" de John Lennon... Como vc falou, parece tudo tão perfeito!

    De fato sabemos que existe uma sociedade perfeita, quer dizer, ela será infinitamente melhor do que a imaginação tão limitada de John Lennon, e pelo contrário, é preciso levar bastante a sério o fato de que existe céu e inferno, pecado e salvação.

    Os que vencem e alcançam a graça de Cristo, conquistam esse direito de viver onde não há choro, nem clamor, nem dor...

    Como vcs expressaram perfeitamente, o problema é: como é que pessoas tão imperfeitas, narcisistas e orgulhosas podem achar que podem construir uma sociedade tão perfeita como a imaginada? É muita pretensão!

    Somos tão miseráveis... e o pior de tudo é que muitas vezes não nos reconhecemos desse modo!

    E Wesslen, de fato a prática é sempre o mais difícil, ainda bem que com certa renúncia podemos nos espelhar em nosso Mestre não é?! :)

    "Se é somente para esta vida que temos esperança em Cristo, dentre todos os homens somos os mais dignos de compaixão. 1 Coríntios 15:19"

    abçs

    Carine Rhodes

    ResponderExcluir
  7. Ótimo comentário!

    Valeu Carine!!!

    PAZ!

    ResponderExcluir
  8. Esse texto, para os iniciantes na vida cristã (como eu), traça um importante referencial nessa caminhada. Antigamente eu pensava desse jeito, como na musica de "imagine", o importante era fazer minhas próprias vontades e achava que Deus não se incomodaria com isso, afinal, se eu tenho um desejo preciso satisfaze-lo, essa era a lógica que eu seguia. Quebrei a cara, me senti vazio, impontente e cheguei a pensar que eu fosse caminhar pra esse abismo, mas eis que Deus (com seu amor incomparável) me acordou do sono profundo das trevas, está me fazendo conhecer a sua palavra e pô-la em prática. Nesse mundo existirão muitos convites em desistir de Jesus Cristo e aceitar a sociedade de "imagine", estejamos firmes na palavra e na oração pra suportar os prazeres mundanos que só trazem o mal1

    ResponderExcluir