EU TE AMO



Eu te amo gravemente
Como onda sem paciência em pedra aguda,
Como quem invadido por luzes e cores,
Como quem engole o dia.

Eu te amo dolorosamente
Como quem sonha e acorda triste,
Como quem come e não engorda,
Como quem chora de alegria.

Eu te amo violentamente
Como medo de não ter,
Como brinquedo de corda,
Como bola de cristal que não pressente.

Eu te amo simplesmente.

Um comentário:

  1. Eu já disse que sempre gosto muito dos seus poemas? Huahauhauhauhauahua!

    Ligue não pra bajulação, é coisa de fã! hehehehehe!

    Muito bonito o poema... gostei muito do fim: "Eu te amo simplesmente" e aí, não há mais versos, porque se tivesse não seria "simplesmente". Esta perspicácia e sagacidade sensitiva que você tem me deixam muito feliz! Gosto dessa sua poesia de "verso corriqueiro", sem bolorismos literários ou intricamentos poéticos.

    Parabéns Gigio, mais uma vez!

    ResponderExcluir