"Dingue-dongue dilo!"


http://hallofbeorn.files.wordpress.com/2013/02/bombadil.jpg

Um de meus personagens favoritos na trilogia dO Senhor dos Anéis é Tom Bombadil. Não, ele não aparece em nenhum dos filmes que serviram de adaptação à obra do Mestre Tolkien. Só o conhece quem leu os livros ou ouviu falar por quem leu. Mas ele é simplesmente uma figuraça! Um homem (?) simplório e um tanto abobalhado, mas de tal poder e importância, que merece uma visita de Gandalf logo após a derrota de Sauron e o retorno dos hobbits ao Condado. Tom Bombadil não é qualquer um, ele é o senhor da Floresta Velha!

Ei boneca! feliz neneca! dingue-dongue dilo
Dingue-dongue! Não delongue! Largue logo aquilo!
Tom Bom, jovial Tom, Tom Bombadillo.

Não, ele também não é um daqueles senhores de Gondor: austero, sisudo, rígido... Tom é um senhor bondoso, sorridente, espalhafatoso, galhofeiro, risonho e serelepe! Ele salta pela perigosa Floresta Velha e canta impropérios! Ele vê Frodo mesmo quando este usa o Um Anel e chega a colocar o Um Anel no dedo e nada lhe acontece. Gandalf chega a afirmar que ele sequer se importaria com algo como o anel de Sauron, que provavelmente ele se esqueceria dele ou o jogaria fora como quem joga lixo ou uma tranqueira velha de casa! Sim, Tom Bombadil tem preocupações mais importantes na vida: colher os últimos nenúfares do verão para sua senhora! Sim, a bela Fruta d'Ouro! E haveria algo melhor a se fazer?

[...]
Vem, linda boneca, bela neneca! feliz e bela,
Fruta d'Ouro, Fruta d'Ouro, linda amora amarela!
Pobre e velho salgueiro, esconde tuas raízes!
Tom tem pressa agora. Há noites e dias felizes.
Tom de volta de novo, nenúfares carregando.
Vem, linda boneca, bela neneca! Podes ouvir-me cantando?

Para muitos ele é um ser obtuso e ridículo. Um velho gordo e um tanto baixo que se veste de jaqueta azul e uma bota amarela, que sai pulando e cantando pela floresta para recolher plantas aquáticas apenas para colocá-las em uma bacia d'água em que sua mulher (de nome esquisito) colocará os pés. Eu, no entanto, vejo de outro modo: alguém que representa a satisfação nas pequenas coisas da vida. Ele é alguém que está realizado e satisfeito: mora com sua amada em uma floresta perigosa, em uma casa simples, mas que não deseja ou sente falta de qualquer outra coisa. Ele está tão em harmonia que é Senhor da Floresta! Árvores e criaturas da floresta lhe obedecem! E tudo isso sem qualquer prepotência, arrogância ou mesmo gravidade!

Ei, amigos! Vamos logo! Onde se meteram?
Em cima, embaixo, perto ou longe, os pôneis se perderam?
Fuça-fuça, Espanador; e Trombadinha!
Meia-branca, Bolo-fofo e Orelhinha!

Desde que conheci Tom Bombadil, desejei esta mesma alegria e felicidade singela: viver com minha amada  (levando-lhe nenúfares ao fim de todo verão!), em tal harmonia que mesmo cercados de perigos, podemos cantar e saltitar alegremente! (Acho que o abobamento do Tom eu já tenho! hauhauhauhauhau).

Em certo sentido, pra mim, Tom Bombadil representa uma vida plena na Graça de Deus. Acho que não há perigo em interpretá-lo assim. Quando estamos tão mergulhados na Graça, tudo vira um "dingue-dongue dilo!". Existem problemas? claro! O velho salgueiro-homem vez ou outra apronta, mas conhecemos a "canção certa para ele", como diria o velho Tom. Não é que devamos ser alienados em relação ao curso da Terra Média em que vivemos; não, de modo algum, todos nós deveremos ir até a Montanha da Perdição e lançar o Um Anel (a maior das tentações). Mas acredito piamente que quanto mais próximos da atitude "abobalhada" de Tom estivermos mais tranquilo será o "jogar fora o Anel do Poder". Tom Bombadil tem a ver com a manutenção da ternura e com a alegria dos pequenos prazeres. Tom Bombadil tem a ver com experimentar o "tudo é vosso!" como algo prático, a ponto de sermos "senhores" e "senhoras" de velhas florestas (velhos cotidianos) com seus "salgueiros-homens-de-riachos-de-desilusão" ou seus "mortos-da-colina-do-passado-que-nos-atormentam".

Caso tenham oportunidade, leiam O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel e tentem ver, como eu vi, alguém plenamente realizado com as coisas simples da vida e que representa, de certa forma, a harmonia de quem vive na Graça de Deus: Tom Bombadil.

O velho Tom Bombadil é mesmo bom camarada;
Azul-claro é sua jaqueta, a bota é amarelada.


Comentários

  1. Depois de ler seu post caro frater Wes, tenho algo a fazer. Devo por melodia aos versos de Tom Bombadil!!

    ResponderExcluir
  2. LEGAL!!!

    Sempre quis cantarolar as musiquinhas do velho Tom, mas não sou bom em melodias e não tinha ninguém para me apoiar nessa maluquice! Agora tem! Êêêêê! Só frater Mazkir mesmo!

    Já fiz vários versinhos a la Tom Bombadil, mas sair cantarolando será muito melhor!! Depois te passo o repertório completo do Bombadil (só coloquei alguns versinhos no post).

    Master Porfírio terá de conter a vergonha de me aturar cantando na rua enquanto conversamos! hauhauhauhauahu! (Depois de "Mellorine! Mellorine!" talvez seja até melhor, não é Master?)

    Ótimos amigos, bons fratiros, dingue-dongue dilo!

    ResponderExcluir
  3. quauquauquauquauquauquauquauquauquauquauquauquauqua!!

    Caros Fraters, onde está o velho Mestre Porfírio?
    Não o vejo,serão meu olhos? Devo usar um colíro?
    Queira Porfírio se revelar! dingue-dongue dilo!
    Ou será que você foi engolido por um crocodilo?

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Gostei muito dos versinhos! Mas o Master Porfírio já tem comentado no blog, brother! Deixe de pegar tanto no pé dele! Dingue-dongue, não delongue mais isso!

    hauahuahuahuahuahauhau!

    ResponderExcluir
  5. Que post maravilhosamente lindo,, nobre WesMaster! Parabéns!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Lista de super poderes de Jesus Cristo

Os glutões não herdarão o reino de Deus